ERRO MÉDICO

Imagine o caso de uma mulher que guardou dinheiro durante anos para conseguir fazer uma cirurgia plástica estética e ocorre um erro durante a cirurgia, que faz com que ela fique com cicatrizes irreversíveis. Ou então, pense na situação do jovem que foi encaminhado para o hospital por ter sofrido um acidente de trânsito, e que acaba saindo da sala de cirurgia com uma tesoura dentro do corpo, que foi esquecida durante a operação.

E mais: já pensou na situação de quem aguarda ansiosamente o resultado de um exame que confirmará uma doença grave ou não e o resultado é positivo? Não é difícil imaginar o sofrimento dessa pessoa e da sua família. Mas, passados alguns dias, o laboratório liga pra ela pra dizer que o resultado estava errado e que, na verdade, ela não há doença alguma.

E sobre infecção hospitalar, você já ouviu falar? Pois é, hoje em dia há muitas e muitas pessoas que são internadas num hospital para realizar uma cirurgia ou procedimento médico e contraem um tipo de infecção, que pode, inclusive, levá-las à morte.

E você, já teve alguma experiência parecida?  Então, o erro médico ocorre toda vez que um profissional, clínica de exames ou hospital falha ou age com falta de atenção, seja na condução de um tratamento ou cirurgia e até mesmo durante uma consulta. Nessas situações, sempre que for causado algum dano ao paciente, ele – ou seus familiares, no caso de sua morte – pode ter o direito de pedir uma indenização.

E O QUE EU PRECISO FAZER?

É necessário comprovar tudo o que aconteceu para que você possa pedir uma indenização. Estas são algumas provas que você pode usar:

  • Documentos médicos (prontuário, receitas, atestados, declarações e exames)
  • Comprovantes de despesas
  • Documentos relativos ao trabalho da vítima (como carteira de trabalho e comprovantes de renda)
  • Documentos do INSS
  • Testemunhas (pegue o máximo de informações possível sobre elas, como telefones, e-mail, endereço, RG e CPF, etc.)
  • Fotos e vídeos (das lesões físicas, do período de tratamento, etc.)

PRAZO

Existe um prazo para propor qualquer tipo de ação; se ele for perdido, a vítima não pode mais pedir a indenização. Por isso, não deixe para última hora e venha conversar com a gente para saber mais sobre o seu caso.

VAMOS CONVERSAR?