DISCRIMINAÇÃO E PRECONCEITO

Bastou entrar na loja para os olhares desconfiados se voltarem para você. A cor da pele, suas roupas, seu peso, ou até o seu modo de agir provavelmente foram o motivo. Além do atendimento forçado, o tratamento também não foi dos melhores. Ou então, ao tentar sair da loja, você foi barrado ou barrada por seguranças sob a suspeita de que tivesse furtado algo, e só pôde sair depois de esvaziar a sua bolsa ou a mochila e mostrar que não havia pegado nada. A situação foi resolvida, mas a vergonha ficou.  

A má notícia é que diversas pessoas são discriminadas todos os dias, verbalmente e até pela internet, por diferentes motivos: cor da pele, orientação sexual, estado civil, nacionalidade, origem, religião, aparência ou idade. Se você sofre ou já sofreu algum tipo de discriminação, saiba que, além de eventual punição criminal para o ofensor, principalmente nos casos de racismo, você, como vítima, tem o direito de pedir uma indenização.

TIPOS MAIS COMUNS DE DISCRIMINAÇÃO


Gênero


Orientação sexual


Cor da pele

Aparência


Situação Econômica

Religião

O QUE EU DEVO FAZER?

Para pedir uma indenização em razão de uma atitude preconceituosa ou discriminatória, é muito importante buscar provas do que aconteceu, como as seguintes:

  • Testemunhas (pegue o máximo de informações possível sobre elas, como telefones, e-mail, endereço, RG e CPF, etc.).
  • Fotos e vídeos.
  • Boletim de ocorrência.
  • Documentos, caso o fato tenha ocorrido por escrito ou pela internet (neste caso pode ser utilizada a ata notarial, que é um documento feito num cartório, no qual serão colocadas as telas da página em que a ofensa foi publicada ou do e-mail que foi enviado).

PRAZO

Existe um prazo para propor qualquer tipo de ação; se ele for perdido, a vítima não pode mais pedir a indenização. Por isso, não deixe para última hora e venha conversar com a gente para saber mais sobre o seu caso.

VAMOS CONVERSAR?