ASSÉDIO MORAL

Sabe aquele chefe ou colega de trabalho que costuma culpar você por todos os resultados ruins da empresa? Geralmente, de uma posição privilegiada, ele humilha você repetidamente, desqualifica seu trabalho e até o coage a pedir demissão.

Algumas dessas situações ocorrem pessoalmente e, outras, até pela internet, por exemplo, quando alguém publica mensagens ou fotos indevidas nas redes sociais ou manda e-mails com ofensas.

Fique atento: esse pode ser um caso de assédio moral. Tudo isso acaba atingindo a sua dignidade e normalmente gera forte abalo psicológico e estresse, ou até consequências mais graves, como depressão e danos à saúde física, como dores de cabeça e ganho irregular de peso. Casos assim podem gerar indenização.

ALGUNS CASOS COMUNS DE ASSÉDIO MORAL

Isolamento da vítima em relação aos demais colegas de trabalho.

O agressor passa à vítima instruções confusas e imprecisas sobre o trabalho que deve ser realizado.

A vítima é repetidamente ofendida (é chamada de incapaz, de burra, etc.).

O agressor dificulta o trabalho da vítima, ou exige, sem necessidade, trabalhos urgentes e sem sentido.

SAIBA O QUE FAZER

É fundamental provar o tudo o que aconteceu. Sendo assim, reúna o seguinte:

  • Detalhamento dos fatos – não se esqueça de colocar data, hora e local dos fatos, bem como identificar o agressor.
  • Testemunhas que presenciaram as agressões ou que também sofreram humilhações do agressor (obs.: evite falar com o ofensor sem estar acompanhado por testemunhas e pegue o máximo de informações possível sobre elas, como telefones, e-mail, endereço, RG e CPF, etc.).
  • Se as ofensas foram feitas pela internet, você deve documentar tudo isso fazendo uma ata notarial (que é um documento feito num cartório, no qual serão colocadas as telas da página em que a ofensa foi publicada ou as do e-mail a que foi enviada).
  • Documentos médicos (prontuário, receitas, atestados, declarações e exames).
  • Documentos do INSS (caso você tenha se afastado do trabalho em razão das agressões, por exemplo).
  • Fotos e vídeos.

PRAZO

Existe um prazo para propor qualquer tipo de ação; se ele for perdido, a vítima não pode mais pedir a indenização. Por isso, não deixe para última hora e venha conversar com a gente para saber mais sobre o seu caso.

VAMOS CONVERSAR?