COBRANÇA INDEVIDA

Imagine a situação: você recebe uma carta dizendo que seu nome (CPF) está no Serasa. Em seguida, descobre que existe uma dívida de um ano atrás, no valor 2 mil reais. O motivo? Um cartão de crédito que você recebeu sem pedir e que nunca desbloqueou.

Imagine outra situação muito comum: você vai renegociar com o banco e tem a surpresa de uma negociação atrelada à compra de produtos ou simplesmente uma negociação abusiva.

E ainda esta outra: o banco liga sistematicamente para você seja na sua casa e em seu local de trabalho, colocando você em situação de constrangimento.

Já passou por algo parecido?

Não fique surpreso. Afinal, vem crescendo o número de pessoas prejudicadas por empresas que não controlam as informações de pagamento e de débito dos seus clientes, cobrando deles o que não devem – inclusive cobrando de quem nem é cliente!

E muitos bancos, infelizmente, contratam empresas de cobrança que trabalham visando apenas lucro, e que ganham pelo número de negociações feitas.

EXEMPLOS DE ONDE SEU NOME PODE SER INCLUÍDO INDEVIDAMENTE

  • SERASA
  • SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)
  • SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito)
  • CADIN (Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados do Setor Público Federal)
  • SCR (Sistema de Informação de Risco de Crédito do Banco Central do Brasil)
  • CCF (Cadastro de Eminentes de Cheques sem Fundos do Banco Central)

Seu nome já apareceu indevidamente em algum destes locais? Então saiba que você pode pedir a indenização por isso. Fique sabendo que as empresas também podem ser vítimas desse tipo de situação, uma vez que têm um nome e uma reputação a zelar. Quando o nome de uma pessoa ou empresa está “sujo”, ela perde acesso a crédito, o que prejudica qualquer um – podendo levar uma empresa, inclusive, a fechar as portas.

O QUE EU DEVO FAZER?

Para entrar com uma ação de indenização, você precisa comprovar que foi vítima de cobrança indevida. Reúna:

  • Cartas e e-mails recebidos
  • Todos os protocolos de ligação feitas na tentativa de resolver o problema
  • Extrato do SERASA e certidão do cartório de protestos
  • Comprovantes de pagamentos já feitos (se for o caso)

PRAZO

Existe um prazo para propor qualquer tipo de ação; se ele for perdido, a vítima não pode mais pedir a indenização. Por isso, não deixe para última hora e venha conversar com a gente para saber mais sobre o seu caso.

VAMOS CONVERSAR?